sábado, 21 de julho de 2012

Uma Nova Era para o Diabetes: Inibidores de SGLT2


Controlar o diabetes nem sempre é fácil. Poucos conseguem perder peso ou se engajar em um programa regular de exercícios físicos. O arsenal terapêutico tem potência limitada: muitos pacientes precisam de duas ou mais medicações (às vezes, quatro), sofrem com hipoglicemias, diarreias, ganho de peso secundários aos remédios.

A maior parte dos pacientes vê seu tratamento se tornar mais difícil com o decorrer dos anos. A explicação reside na lenta, mas progressiva, morte das células que produzem insulina (células-beta) nestes indivíduos. Esta morte é acelerada se a glicose permanece elevada, descontrolada no organismo. Ao cabo de alguns anos, o diabético tem uma razoável chance de estar usando insulina, sofrendo com hipoglicemias e vítima de complicações. 

Os últimos cinco anos foram de grandes avanços na Diabetologia. Surgiram drogas que não provocam (ou mesmo reduzem) hipoglicemias e preservam as células-beta. A liraglutida e a exenatida, além disso,ainda promovem perda de peso.  

A fera chamada diabetes ainda segue, entretanto, longe de ser domada. Muitos remédios perdem a eficácia com o evoluir da doença, à proporção em que o pâncreas produz quantidades cada vez menores de insulina. 

Neste contexto, recebe-se com enorme entusiasmo a última novidade para o diabetes: os inibidores de SGLT2. São várias moléculas de diferentes fabricantes (canagliflozina e dapagliflozina as primeiras), todas na forma de comprimido, baseadas no mesmo princípio: inibir a reabsorção de glicose depois que o sangue é filtrado nos rins.  

Estas drogas são capazes funcionar desde que a pessoa não tenha insuficiência renal. Em tese, poderia dar certo para diabéticos com doença de longa evolução, usuários de insulina ou até diabéticos tipo 1. A eliminação diária que chega a ultrapassar 50g de glicose facilita o emagrecimento (cerca de 3% do peso corporal nos estudos), melhora a pressão e até o colesterol HDL. Detalhe importante: sem provocar hipoglicemias. 

Nem tudo são flores. Os usuários do medicamento urinam com maior frequência, o que pode predispor à desidratação. O excesso de glicose na urina aumenta a incidência de candidíase, sobretudo em mulheres. O colesterol ruim (LDL) pode subir. Nos primeiros estudos, observou-se uma incidência aumentada de câncer de mama entre os usuários de dapagliflozina. Os fabricantes juram que tal achado se deveu apenas ao acaso, e que novos estudos absolverão a droga. De fato não se observou maior incidência de tumores quando outros fármacos da classe foram testadas. 

Na prática, são medicações que parecem ser muito seguras e bem potentes. Um estudo comparou a sitagliptina (Januvia®) com a canagliflozina, apontando maior eficácia à nova molécula. 

A natureza ainda deu uma mãozinha ao homem para avaliar a segurança destes remédios: há muitos anos já se sabe que algumas pessoas nascem com o SGLT2 (que transporta glicose nos rins) defeituoso. Estas pessoas chegam a eliminar até 120g de glicose na urina todos os dias, porém com expectativa de vida normal e sem prejuízo à função renal.

Que sejam bem-vindos os inibidores de SGLT2. Que mudem a vida de muitos diabéticos, salvando pés, olhos, corações e sorrisos de muitas famílias. 

17 comentários:

  1. comecei ontem a usar este novo
    remedio. dormir 9 horas, acordando de
    1 em 1 hora para urinar e beber agua.
    so espero que faca efeito

    ResponderExcluir
  2. adorei as dicas! perder peso não é facil comprei umas capsulas do ultra power max 5 potes e espero que dessa vez eu consiga perder peso e ficar magra de Verdade

    ResponderExcluir
  3. Gente, descobri um produto magnífico, FITRED, estou realmente fascinada com os resultados, FITRED funciona mesmo!

    ResponderExcluir
  4. Alfacaps incentiva o derretimento da camada de gordura do corpo,usando essa gordura como fonte de energia para o organismo.

    ResponderExcluir
  5. Prefiro investir em cápsulas para ficar musculoso, quem quer emagrecer é só se segurar na comida. T_Kress Pro está me ajudando muito.

    ResponderExcluir
  6. É importante manter uma dieta saudável criada especialmente para diabéticos. Acredito ainda que a melhor solução é a prevenção. A menos que seja diabetes tipo 1, nesse caso os inibidores realmente são uma ótima descoberta!

    ResponderExcluir
  7. A cada momento uma pesquisa contradiz outras, e ficamos perdidos sem saber em qual acreditar.

    ResponderExcluir
  8. Adorei seu artigo!
    Queria aproveitar e passar uma dica, AZ21

    ResponderExcluir
  9. Bom dia!
    Vocês já ouviram falar de AZ21?
    É maravilhoso!Vale a pena conferir!

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Muito bom seu artigo!
    Estou usando Power Potence e adorando o resultado!

    ResponderExcluir
  11. Além do AZ21 gente tb foi criado a colastrina, vcs já viram com ele funciona?

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pelo site! Muito informativo

    ResponderExcluir
  13. Seria uma boa fazer uma nova matéria sobre isso... não sabemos se vingou. As pessoas simplesmente esquecem.

    ResponderExcluir
  14. Para controlar a diabetes, nada melhor que praticar exercícios. E o melhor exercício do mundo é a prática sexual.

    ResponderExcluir
  15. Muita pesquisa e especulação... o que vai à frente? Nem 30%! Todo dia nasce 1 esperança e morrem mil.

    ResponderExcluir